Dentro é lugar longe

[Divisor]

Dentro é lugar longe

Inserir foto

A criação cênica Dentro é lugar longe (2013) é o espetáculo mais recente da Trupe Sinhá Zózima. Com encenação de Anderson Maurício e dramaturgia de Rudinei Borges, o texto foi apontado pelo crítico Miguel Arcanjo Prado como “um dos mais bonitos apresentados em 2013 pelo teatro paulistano. É poético, fluído e tocante”.

Elaborado a partir de história oral dos artistas-pesquisadores da Trupe Sinhá Zózima, a tessitura dramatúrgica é perpassada, sobretudo, por memórias da infância dos narradores, em que lembranças de nascimento e morte são contadas compondo a metáfora da vida como estirada, estrada longa. A vida é desvelada como viagem, caminhada das distâncias, num itinerário em que malas vazias e abarrotadas são carregadas como presentificação de conquistas e de pelejas. A encenação em um ônibus em movimento, característica singular do grupo, potencializa a ideia de viagem, partida que ao mesmo tempo é chegada.

A pesquisa foi realizada durante um ano, de 2012 a 2013, e teve como mote uma aproximação dos conceitos de: história oral; teatro e imaginário; teatro e espaço; teatro e cultura popular. Nesse período, o grupo recebeu assessoria do Núcleo de Estudos em História Oral da Universidade de São Paulo (NEHO – USP). Contou também com a assessoria da diretora Eliana Monteiro (do Teatro da Vertigem), da pesquisadora Andrea Cavinato (doutora pela USP) e da Musicista Roberta Forte (pesquisadora em cultura popular). Realizou debates com os pesquisadores Alexandre Mate, Helena Chamlian, José Simões, Sebastião Milaré e Sidnei Ferreira de Vares.

O espetáculo é resultado de ampla pesquisa realizada pela Trupe Sinhá Zózima no projeto Plantar no ferro frio do ônibus o ninho, contemplado pela 20° edição do Programa de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo.

Dentro é lugar longe estreou com apresentações para os funcionários do transporte público no dia 1º de maio de 2013 no Terminal Parque Dom Pedro II, na cidade de São Paulo.