Os minutos que se vão com o tempo espetáculo

[Divisor]

Os minutos que se vão com o tempo

Contemplado pela 24º Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo, o projeto Os minutos que se vão com o tempo: da imobilidade urbana ao direito à poesia, à cidade e à vida terá duração de 23 (vinte e três) meses iniciando em maio de 2014 com término previsto para março de 2016.

Têm como três grandes objetivos ou, como a Trupe Sinhá Zózima prefere chamar, propostas de movimentação.

Os três movimentos do projeto (investigação, proposição e integração) conectam-se aos propósitos de pesquisa da Trupe Sinhá Zózima (espaço, público, ator, dramaturgia e produção) e consolidam sua trajetória em busca do teatro do encontro sem fronteiras.

Inserir fotos

1º movimento: investigar por meio da pesquisa do ônibus como espaço de intervenção cênica na cidade de São Paulo, as possibilidades de práxis transformadoras e a ideia de teatro do encontro sem fronteiras

Ações: Criação de experimentos dramatúrgicos e cênicos e Carpintarias (oficinas) coordenadas pelos artistas-pesquisadores da Trupe Sinhá Zózima, com participação de pesquisadores convidados.

Inserir fotos

2º movimento: propor ações de residência artística no Terminal Parque Dom Pedro II, buscando a compreensão das necessidades locais e das possibilidades de intervenção no cotidiano

Ações: atividades abertas à comunidade com intuito de compartilhar os rumos da pesquisa da Trupe e de outros grupos por meio de: Conversações com artistas e pesquisadores, Partilhas de Vivências com artistas, pesquisadores e grupos de teatro, Ampliação das formas de comunicação.

Inserir fotos

3º movimento: integrar os usuários e trabalhadores do transporte público ao processo de investigação e criação da Trupe Sinhá Zózima, fomentando a participação dos sujeitos e de suas leituras de mundo

Ações: a criação dos experimentos dramatúrgicos e cênicos da Trupe Sinhá Zózima.